Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Milhares de pessoas saíram em passeata neste sábado no centro de Londres para pedir ao governo conservador da premier Theresa May que renuncie ao Brexit

(afp_tickers)

Milhares de pessoas saíram em passeata neste sábado no centro de Londres para pedir ao governo conservador da premier Theresa May que renuncie ao Brexit.

Após seguir pelas ruas do centro, a passeata parou em frente ao parlamento, onde personalidades tomaram a palavra para defender o projeto da União Europeia, entre elas o cantor irlandês Bob Geldof.

"Não há nenhum bom motivo para se abandonar a UE. Apenas maus", declarou a manifestante Beverley Townsend, 55, enrolada em uma bandeira europeia, afirmando que aderiu aos liberal-democratas, partidários da UE, após anos apoiando o Partido Conservador.

Esta "Marcha pela Europa" aconteceu dois dias antes da primeira votação no parlamento sobre o projeto de lei do governo cujo objetivo é determinar que leis europeias serão mantidas no corpo legislativo britânico após a saída da UE, uma etapa-chave do processo.

Esta "Lei de Retirada da União Europeia" irá abolir de fato a "European Communities Act" de 1972, que marcou a adesão do Reino Unido à UE e estabeleceu a primazia do direito comunitário sobre o britânico.

Para o manifestante John Wale, professor universitário, a saída da UE terá apenas consequências negativas. Segundo ele, o Brexit é obra de "um punhado de fanáticos".

Outros evocavam a possibilidade de abandonarem o país, em que alguns construíram sua vida, como a espanhola Luisa Paches, 39, instalada no Reino Unido há 13 anos.

"Já não me sinto bem-vinda aqui", disse a manifestante, ao lado do companheiro francês e de dois filhos.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP