A pandemia de coronavírus fez disparar o número de pedidos semanais de seguro-desemprego nos Estados Unidos, com um aumento de três milhões, um recorde histórico, informou o Departamento do Trabalho nesta quinta-feira.

Quase 3,3 milhões de pessoas solicitaram o benefício durante a semana que terminou em 21 de março, um aumento de mais de três milhões na comparação com a semana anterior, quando 282.000 novos pedidos foram apresentados.

O maior número anterior de pedidos semanais do subsídio por desemprego era de 695.000 em outubro de 1982. E na mesma semana de 2019 foram registradas 215.000 solicitações.

O aumento exponencial da semana passada acontece durante a crise econômica provocada pela pandemia de coronavírus, que obrigou o fechamento de restaurantes, lojas e hotéis, assim como uma paralisação das companhias aéreas.

Praticamente todos os estados citaram a Covid-19 como causa do crescimento nos pedidos do seguro-desemprego, com fortes impactos nos serviços de alimentos, alojamento, entretenimento e recreação, atendimento médico e transportes.

- "Horrendo" -

Analistas econômicos já haviam alertado para um aumento gigantesco na taxa de desemprego, mas projetavam 1,5 milhão de pedidos, o que outros consideraram muito otimista.

Ian Shepherdson, da Pantheon Macroeconomics, havia previsto um aumento "horrendo", ao destacar que Nova York recebeu 1,7 milhão de pedidos de subsídios.

Os analistas da ING recordaram que "as linhas telefônicas caíram e os sites entraram em colapso quando as pessoas se registravam" para obter o seguro. "Outros milhões apresentarão seus pedidos nas próximas semanas".

O Senado aprovou durante a noite um plano de resgate da economia americana de 2,2 trilhões de dólares, que inclui um aumento sem precedentes nos seguros-desemprego para tentar amenizar o choque até que a pandemia esteja sob controle.

O plano inclui uma prorrogação dos benefícios do seguro-desemprego aos trabalhadores autônomos e de período parcial, assim como às pessoas doentes e em quarentena.

A Câmara de Representantes precisa aprovar o pacote na sexta-feira, antes que o presidente Donald Trump promulgue o texto.

O novo coronavírus provocou pelo menos 21.873 mortes no mundo desde dezembro, segundo um balanço da AFP com base em fontes oficiais.

Desde o início da epidemia foram registrados mais de 481.300 casos de contágio em 182 países ou territórios. O número de casos diagnosticados positivos reflete, no entanto, apenas uma parte do total de contágios devido às políticas diferentes de vários países para diagnosticar os casos.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


Teaser Instagram

Siga-nos no Instagram

Siga-nos no Instagram

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.