Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) Esqueleto de um Tiranossauro Rex é exposto no Museu de História Natural de Berlim, no dia 16 de dezembro de 2015

(afp_tickers)

Uma pegada de dinossauro de 1,20 metro de diâmetro e cerca de 80 milhões de anos de antiguidade foi encontrada no sudeste da Bolívia, em uma região considerada como a meca da paleontologia, informou nesta segunda-feira à AFP o pesquisador Omar Medina.

"Foi encontrada uma pegada de um terópode Abelissauro de 1,20 metros de diâmetro, 64 km ao nordeste da cidade de Sucre", capital da Bolívia, afirmou Medina, integrante da Sociedade de Paleontólogos do departamento de Chuquisaca.

"Esta é uma das maiores descobertas deste tipo de pegadas" no país, disse o especialista.

Medina disse não ter informação de que existam rastros deste tipo em outros lugares do mundo, apesar de que entre 2009 e 2010 foram encontradas pegadas similares de animais pré-históricos na França e na Argentina.

O dinossauro, da família Abelisauridae, é "carnívoro, bípede, característico do Cretáceo Superior de 80 milhões de anos atrás e deve ter tido uma altura de cerca de 15 metros, era grande", disse o pesquisador.

Medina indicou também que nos últimos meses foram encontrados no mesmo lugar rastros de terópodes do tipo Megaraptor, que confirmam a zona boliviana como um valiosíssimo centro de pesquisa paleontológica.

Próximo a cidade de Sucre se encontra o Parque Cretácico Cal Orcko, um dos maiores depósitos icnológicos (estudo de pegadas fósseis) do mundo.

"Isto vai permitir determinar a rota migratória dos dinossauros pela América do Sul e pelo nosso país e conhecer a megafauna da zona", comentou Medina.

Como exemplo, o pesquisador indicou que a pegada encontrada, estampada sobre uma pedra, estava na direção norte-sul, do centro da Bolívia para o norte Argentino.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP