Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Incêndio em depósito de combustível perto do aeroporto de Trípoli

(afp_tickers)

Pelo menos 22 pessoas morreram e 72 ficaram feridas no sábado em combates entre milícias rivais em Trípoli, anunciou neste domingo o governo líbio em um comunicado, no qual adverte contra o "agravamento da situação humanitária" na capital.

No total, 124 pessoas morreram e mais de 500 foram feridas desde o início dos distúrbios em Trípoli, no dia 13 de julho.

De acordo com uma fonte médica, o número de vítimas pode ser muito maior, pois o balanço oficial não leva em consideração as pessoas hospitalizadas fora de Trípoli, sobretudo na cidade de Misrata, onde as milícias participam nos combates.

O governo de transição também destacou que centenas de famílias foram deslocadas e advertiu contra "o agravamento da situação humanitária" em Trípoli, que sofre com a escassez de combustível e de botijões de gás, e tem problemas de fornecimento de alimentos.

Neste domingo, o centro da capital estava mais movimentado que nos últimos dias, mas os combates prosseguiam na zona sul da cidade. Muitas lojas e agências bancárias permaneciam fechadas.

Uma gigantesca nuvem de fumaça era observada em um depósito de combustíveis incendiado a 10 km da capital. As chamas, provocadas por um ataque com foguete na semana passada, ainda não foram controladas.

Desde 13 de julho, as milícias de ex-rebeldes que combateram juntos durante os oito meses de insurgência contra o regime de Muamar Khadafi em 2011 se enfrentam, provocando o fechamento do aeroporto de Trípoli, onde alguns aviões foram atingidos.

AFP