Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Detentos participam de confronto entre facções em Natal, Rio Grande do Norte, no complexo penitenciário de Alcaçuz, no dia 19 de janeiro de 2017

(afp_tickers)

Uma batalha campal, com paus e pedras, tomou conta nesta quinta-feira do presídio de Alcaçuz, em Natal, onde no fim de semana passada morreram 26 pessoas em ajustes de contas entre facções rivais de traficantes, informaram os jornalistas da APF.

A polícia disparou balas de borracha para tentar separa os dois grupos. a GloboNews mostrou imagens de pessoas feridas sendo retiradas do lugar.

A polícia entrou na véspera no presídio, do qual retirou 220 presos do Sindicato do Crime RN para levá-los a outros estabelecimentos penais, a fim de aliviar a tensão depois dos brutais assassinatos de 26 pessoas pertencentes em sua maioria dessa organização criminosa, por membros do Primeiro Comando da Capital (PCC).

A transferência dos presos criou um forte descontentamento no Sindicato do Crime RN, implantado no Rio Grande do Norte.

À noite, explodiram distúrbios em Natal e em outras cinco cidades desse Estado, com queima de ônibus e ataques a prédios públicos.

AFP