Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Plataforma de petróleo perto de Tioga, na Dakota do Norte, em 21 de agosto de 2013

(afp_tickers)

O petróleo caiu nesta terça-feira em Nova York, fechando abaixo dos 50 dólares que tinha alcançado na segunda, por causa da realização de lucros após as altas registradas na última semana.

O barril de "light sweet crude" (WTI) recuou 1,01 dólar, a 49,16 dólares, nos contratos para setembro negociados no New York Mercantile Exchange (Nymex).

Em Londres, o barril de Brent do Mar do Norte para outubro caiu 87 centavos, a 51,78 dólares.

A queda em Nova York veio apenas um dia depois de o barril passar os 50 dólares pela primeira vez desde maio, após um mês que registrou os maiores avanços de preços do ano.

Indicadores americanos com resultados mistos "serviram para disparar a realização de lucros" nesta terça, explicou Mike Lynch da Strategic Energy & Economic Research.

James Williams, analista da WTRG, concordou e apontou que a falta de sanções petroleiras dos Estados Unidos à Venezuela também afetou os preços.

"A única razão que eu encontro (para a queda) é uma reação à ausência de um embargo no setor do petróleo dos Estados Unidos à Venezuela, algo que os investidores temiam na segunda", opinou Williams.

Na segunda-feira, os Estados Unidos congeleram ativos do presidente venezuelano Nicolás Maduro após considerá-lo um "ditador".

Uma eventual interdição das exportações de petróleo para a Venezuela, necessárias para o país manter seu sistema petrolífero operando, ou até mesmo a suspensão das importações teria influenciado os preços.

AFP