Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Plataforma petrolífera norueguesa de Sleipner, no Mar do Norte, em 15 de maio de 2008

(afp_tickers)

O petróleo fechou em alta nesta quarta-feira (18) em Nova York, estimulado pela queda das reservas da commodity nos Estados Unidos e pela tensão no Iraque.

O barril de light sweet crude (WTI) para entrega em novembro avançou 16 centavos, a 52,04 dólares, no New York Mercantile Exchange.

No Intercontinental Exchange (ICE) de Londres, o barril de Brent do Mar do Norte para entrega em dezembro fechou a 58,15 dólares, com alta de 27 centavos ante o fechamento de terça-feira.

Na semana encerrada em 13 de outubro, as reservas comerciais de petróleo recuaram 5,7 milhões de barris (mb), a 456,5 mb, quando analistas questionados pela agência Bloomberg previam, em médio, queda de apenas 3,25 mb.

"Avaliamos que o informe é neutro para os mercados, mas apenas porque já tinham integrado a ideia de que as reservas cairiam", disse um analista da DNB Markets.

O informe do Departamento de Energia também relatou uma inesperada alta nos estoques de destilados e redução do ritmo nas refinarias.

Investidores também avaliaram a situação do Iraque, onde os curdos perderam campos petrolíferos que controlavam na província de Kirkuk para tropas enviadas por Bagdá.

O ministro iraquiano de Petróleo Jabbar al-Louaibi pediu, nesta quarta, que a britânica BP tome "rapidamente as medidas necessárias para desenvolver as infraestruturas petroleiras de Kirkuk".

A produção lá é de 500 mil barris por dia e deve ser retomada rapidamente. Contudo, falta saber se os curdos permitirão que o petróleo seja transportado pelos territórios sob seu controle, disseram analistas do Commerzbank.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP