Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

As reservas de petróleo subiram claramente menos do que o previsto na semana passada nos Estados Unidos

(afp_tickers)

O preço do petróleo fechou em alta nesta quarta-feira em Nova York devido a uma queda maior do que a esperada das reservas nos Estados Unidos em um mercado que acompanha atentamente as tensões na Ucrânia e no Oriente Médio.

O barril de "light sweet crude" (WTI) para entrega em setembro ganhou 73 centavos, a US$ 103,12, na New York Mercantile Exchange (Nymex).

"O relatório sobre reservas sustentou os preços hoje (...) em um contexto de ritmo muito elevado" de produção "nas refinarias nos EUA", explicou Phil Flynn, do Price Futures Group.

As reservas de cru caíram mais do que o previsto na semana passada nos Estados Unidos, de acordo com dados do Departamento de Energia (DoE), divulgados nesta quarta.

As reservas de petróleo perderam 4 milhões de barris, e se situaram a 371,1 milhões, na semana terminada em 18 de julho. A queda foi muito mais significativa do que a média das previsões dos especialistas consultados pela agência Dow Jones Newswires, de 2,5 milhões de barris.

As reservas já tinham perdido 13,1 milhões de barris nas três semanas anteriores.

Qualquer queda nas reservas dos EUA causa um aumento no preço do petróleo.

Os operadores seguem atentos à evolução dos conflitos no Oriente Médio e na Ucrânia.

A União Europeia vai divulgar na quinta-feira uma nova lista de pessoas e instituições russas sancionadas por seu apoio aos separatistas pró-russos na Ucrânia. As medidas setoriais podem afetar o setor de energia.

AFP