Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Plataforma de petróleo perto de Tioga, na Dakota do Norte, em 21 de agosto de 2013

(afp_tickers)

O petróleo fechou em alta nesta quinta-feira em Nova York, impulsionado pela expectativa de um reequilíbrio do mercado após a queda das reservas americanas.

O barril de "light sweet crude" (WTI) para entrega em setembro fechou a 49,04 dólares no New York Mercantile Exchange (Nymex), alta de 29 centavos em relação a quarta-feira.

Em Londres, o barril de Brent do Mar do Norte também para setembro avançou 52 centavos, a 51,49 dólares, seu valor mais alto desde o fim de maio.

Os preços chegaram ao seu auge desde maio na última quarta-feira. Embora tenham iniciado em baixa, voltaram a subir durante a sessão.

"Isso é a continuação da reação ao informe sobre as reservas dos Estados Unidos de quarta", afirmou Mike Lynch, da Strategic Energy & Economic Research.

Os estoques de petróleo americanos caíram pela quarta semana seguida, assim como os de gasolina e destilados.

"Essa grande queda das reservas de produtos petrolíferos nas últimas semanas entusiasmou os investidores, que apostam na alta dos preços e acham que as medidas da Opep estão começando a surtir efeito" para reduzir a oferta e aumentar os preços, opinou Lynch.

Analistas do banco BNP Paribas destacaram, contudo, que "por enquanto as exportações da Opep não mostram uma redução em relação a outubro de 2016, mês tomado como referência no acordo de redução da produção".

AFP