Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

As reservas de petróleo subiram claramente menos do que o previsto na semana passada nos Estados Unidos

(afp_tickers)

A cotação do petróleo em Nova York baixou nesta segunda-feira pela sétima vez consecutiva, com a perspectiva de retomada da oferta de petróleo líbio e com as menores preocupações relativas à produção do Iraque.

O barril de "light sweet crude" (WTI) para entrega em agosto caiu 53 centavos no New York Mercantile Exchange (Nymex), a 103,53 dólares, seu nível mais baixo desde 6 de junho.

Em Londres, o barril de Brent do Mar do Norte para entrega no mesmo período fechou em 110,24 dólares no Intercontinental Exchange (ICE), em queda de 40 centavos em comparação ao fechamento de sexta-feira.

No caso do WTI em Nova York, "trata-se da maior série de quedas consecutivas desde dezembro de 2009", observou Bart Melek, da TD Securities.

A razão para as quedas é, segundo o analista, "o enfraquecimento das tensões geopolíticas" nos países produtores de cru do Oriente Médio, como Líbia e Iraque.

No caso da Líbia, a informação é de que as exportações se intensificarão, afirmou Matt Smith, da Schneider Electric.

A isso se soma o nível de reservas nos EUA, que segue alto e pressiona os preços para baixo. De acordo com Bart Melek, os preços poderiam baixar para 103 dólares antes de encontrar resistência por parte do mercado.

AFP