Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Um trabalhador caminha em uma instalação da Companhia Nacional de Petróleo e Gás da Ucrânia, a Naftogaz, perto da cidade de Kharkiv, em 5 de agosto de 2014.

(afp_tickers)

O petróleo fechou em queda nesta terça-feira em Nova York, afetado pelos temores dos investidores em relação à fraca demanda no mercado mundial, onde a oferta se mantém alta apesar dos conflitos geopolíticos.

O barril de "light sweet crude" (WTI) para entrega em setembro recuou 71 centavos no New York Mercantile Exchange (Nymex), fechando em 97,37 dólares.

Em Londres, o barril de Brent do Mar do Norte para entrega no mesmo prazo foi cotado a 103,02 dólares no Intercontinental Exchange (ICE), queda de 1,66 dólares em relação ao fechamento de segunda-feira. Este é o valor mais baixo desde julho de 2013.

"O mercado, em queda desde o final de julho, tentou se estabilizar nos últimos dias com os investidores mais atentos aos riscos geopolíticos que podem perturbar a oferta de cru", destacou Gene McGillian, da Tradition Energy.

"Mas na terça-feira, a Agência Internacional de Energia nos lembrou que a tendência do mercado é de recuo", acrescentou.

Segundo a AIE, o consumo mundial de petróleo em 2014 e 2015 será menor do que o esperado por causa de um crescimento econômico frágil.

A isso se soma a atividade excepcionalmente fraca na refinarias dos países da OCDE em junho e a desaceleração das importações chinesas, destinadas a reforçar as reservas estratégicas do país.

Além disso, a confiança dos investidores na Alemanha, a maior economia europeia, caiu em agosto por preocupações sobre as tensões no mundo.

A expectativa do mercado de que haja uma nova queda das reservas de cru dos EUA no informe oficial de quarta-feira, não foi o suficiente para sustentar os preços.

"Há um mês e meio que as reservas diminuem e até o momento o mercado tem estado bem indiferente", destacou Gene McGillian.

AFP