AFP

Plataforma de petróleo perto de Tioga, na Dakota do Norte, em 21 de agosto de 2013

(afp_tickers)

Os preços do petróleo fecharam nesta quarta-feira com uma queda significativa após o anúncio de um aumento inesperado das reservas nos Estados Unidos que reviveu temores sobre um excesso de oferta.

O preço do barril de "light sweet crude" (WTI) para entrega em julho caiu 2,47 dólares, a 45,72 dólares no New York Mercantile Exchange (Nymex).

Os preços de fechamento foram divulgados com alguns minutos de atraso. Contactado pela AFP o Nyymex explicou que o atraso se deveu a "um problema técnico".

Às 16H00 GMT, o barril de Brent do mar do Norte para entrega em agosto era vendido a 48,38 dólares no Intercontinental Exchange (ICE) de Londres, uma queda de 1,74 dólar em relação ao fechamento de terça-feira.

"O principal motor hoje foi o relatório sobre o petróleo do Departamento de Energia (DoE) dos EUA, comentou James Williams, da WTRG.

Durante a semana terminada em 2 de junho, as reservas comerciais de petróleo aumentaram em 3,3 milhões de barris e chegaram a 513,2 milhões, enquanto a média dos analistas interrogados pela agência Bloomberg previa uma queda de 3 milhões.

Esse aumento inesperado das reservas acontecem em um momento do ano em que "os estoques de petróleo têm normalmente tendência a baixar", disse Williams.

As reservas de gasolina e de produtos destilados não ajudaram os preços, já que aumentaram mais do que o previsto.

O aumento das reservas americanas é um dos indicadores de que a oferta continuam superando a demanda apesar dos esforços da Organização de Países Exportadores de Petróleo (Opep), que prolongou um acordo para reduzir a produção até março de 2018.

AFP

 AFP