Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) Poço de petróleo perto da cidade de Andrews, Texas

(afp_tickers)

O petróleo fechou em leve alta nesta segunda-feira em Nova York, influenciado pelos problemas políticos no Iraque e pela redução de poços ativos nos Estados Unidos.

O barril do light sweet crude para entrega em dezembro avançou 6 centavos, a 51,90 dólares, no New York Mercantile Exchange.

Andy Lipow, da Lipow Oil Associates, garantiu que o mercado foi sustentado pela crise entre Bagdá e os curdos e por uma nova queda no número de poços americanos em atividade.

A incerteza permanece no norte do Iraque, onde tropas enviadas por Bagdá tomaram o controle da região petroleira de Kirkuk, reivindicada pelos curdos separatistas.

"A novidade é que essa incerteza se manteve. O mercado pensava que não duraria, mas agora já leva uma semana", avaliou Lipow.

O analista observou que o conflito prejudicou as exportações do Curdistão. Antes do conflito, o oleoduto que liga Kirkuk ao porto turco de Ceyahn permitia exportar 550 mil barris por dia. Agora, essa quantidade foi reduzida para 250 mil barris diários.

Por outro lado, a produção de petróleo de xisto nos Estados Unidos mostrou sinais de fraqueza. Pela terceira semana seguida, a quantidade de poços ativos foi reduzida.

"Os produtores de petróleo de xisto estão mais focados na rentabilidade que nos volumes", disse Lipow.

"Isso significa que vão reduzir sua produção até que comecem a ganhar dinheiro', indicou Phil Flynn, da Price Futures Group.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP