Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Plataforma de petróleo perto de Tioga, na Dakota do Norte, em 21 de agosto de 2013

(afp_tickers)

O petróleo fechou em alta sutil nesta quinta-feira (2) em Nova York, influenciado por aumentos de tarifas pela Arábia Saudita, país líder da Organização de Países Exportadores de Petróleo (Opep).

O barril de light sweet crude (WTI) para entrega em dezembro subiu 24 centavos e fechou a 54,54 dólares no New York Mercantile Exchange. O barril de Brent do Mar do Norte valorizou-se 13 centavos, fechando a US$ 60,62.

"O mercado continua sendo sustentado pela redução de estoques de produtos derivados do petróleo nos Estados Unidos e pela expectativa da prorrogação do acordo fechado entre os membros da Opep e outros países produtores para limitar sua produção", antecipou Andy Lipow, da Lipow Oil Associates.

O cartel se comprometeu no fim de 2016 com outros países produtores, como a Rússia, a restringir suas extrações para limitar a oferta da commodity no mercado mundial e tentar, assim, reorientar os preços. Uma reunião sobre o futuro do acordo, que vigora até março de 2018, deve ser celebrada no fim de novembro em Viena.

Neste contexto, a gigante saudita do petróleo Aramco aumentou suas tarifas para o mercado asiático pelo terceiro mês consecutivo, disse Michael Tran, analista da RBC CM.

Com este gesto, Riad indica "aos seus clientes que espera um aumento de preços nos próximos meses, o que, por sua vez, destaca que está decidido a prolongar o acordo de redução da oferta", que vence em março, estimou Phil Flynn, da Price Futures Group.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP