Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Plataforma de petróleo perto de Tioga, na Dakota do Norte, em 21 de agosto de 2013

(afp_tickers)

O petróleo teve uma pequena alta nesta sexta-feira, freando um pouco a queda acumulada na semana, de 4% do seu valor.

O barril de "light sweet crude" (WTI) subiu 27 centavos a 43,01 dólares nos contratos com entrega em agosto no New York Mercantile Exchange (Nymex).

Em Londres, o barril de Brent do Mar do Norte subiu 32 centavos a 45,44 dólares nos contratos para agosto.

O petróleo esteve em baixa no mercado em Nova York durante boa parte da semana, acumulando queda de 16% em um mês e meio e 4% na semana.

Nesta sexta-feira, o mercado não teve grandes alterações e se manteve equilibrado, de acordo com Andy Lipow, da Lipow Oil Associates. "Acho que o mercado recuperou um pouco do seu fôlego", opinou.

O mercado sofre pressão devido aos elevados estoques mundiais, que não baixaram tanto quanto era esperado desde que, em janeiro, a Opep e outros grandes produtores decidiram extrair menos petróleo.

Líbia e Nigéria ainda voltaram a produzir, e os Estados Unidos continuam fazendo extrações.

Entre os fatores que baixam os preços, especialistas do Commerzbank citaram a elevada venda de petróleo saudita para a China e os Estados Unidos em maio.

A Arábia Saudita lidera a Opep e é a maior produtora do mundo. O país foi o que mais reivindicou a redução de oferta.

Nos Estados Unidos, não há sinais de que a produção vá diminuir. A quantidade de poços ativos, pelo contrário, voltou a aumentar nesta semana, de acordo com uma pesquisa revelada nesta sexta-feira.

AFP