Navigation

Piloto impede co-piloto de retornar à cabine em pleno voo

A companhia aérea investigou este incidente em pleno voo que provocou por alguns momentos o medo da tripulação afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 06. julho 2014 - 12:09
(AFP)

A companhia aérea Air New Zealand suspendeu dois pilotos depois que durante um voo o piloto impediu o co-piloto de retornar ao seu posto devido a tensões entre os dois homens, indicou a empresa neste domingo.

O voo que saiu de Perth (Austrália) com direção a Auckland (Nova Zelândia) no dia 21 de maio foi atrasado porque o co-piloto foi submetido a um teste aleatório de drogas e álcool, indicou a companhia.

"Este atraso irritou o piloto", explicou à AFP o responsável pela segurança da Air New Zealand, Errol Burtenshaw.

Durante o voo, o co-piloto fez um intervalo e foi tomar o café junto com outro membro da tripulação. Mas quando quis retornar à cabine o piloto não respondeu aos seus chamados para que abrisse a porta.

"O capitão não respondeu aos seus apelos e não abriu a porta porque se aproximava de um ponto de notificação, e via em seu monitor um membro da tripulação chamando, e não o co-piloto", acrescentou Errol Burtenshaw.

A companhia aérea investigou este incidente em pleno voo que provocou por alguns momentos o medo da tripulação.

A Air New Zeland enviou suas conclusões às autoridades de aviação e suspendeu o piloto durante duas semanas e o co-piloto durante uma semana.

Os dois homens receberam uma formação adicional e ajuda psicológica para ajudá-los a gerir este tipo de tensões.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.