Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(2005) O chinês Liu Xiaobo, em Cantão

(afp_tickers)

A função hepática do dissidente chinês e prêmio Nobel da Paz Liu Xiaobo, que sofre de câncer de fígado, piorou, anunciou o hospital em que ele está recebendo tratamento.

O Hospital Universitário de Shenyang, nordeste da China, indicou, além disso, que Liu, de 61 anos, pode ter um coágulo em um músculo da panturrilha e que, em consequência disso, os médicos modificaram seu tratamento.

Vários países ocidentais solicitaram a Pequim que Liu recebesse autorização para viajar ao exterior em busca de atendimento para sua doença terminal, um pedido respaldado por ONGs e parentes do escritor.

Condenado em 2009 a 11 anos de prisão por "subversão", Liu saiu da prisão no mês passado, depois de ter sido diagnosticado com o câncer.

O governo de Pequim foi muito criticado por grupos de defesa dos direitos humanos pelo tratamento a Liu e por ele ter sido liberado apenas depois do diagnóstico de um câncer em estágio avançado.

As autoridades chinesas alegam que o dissidente foi tratado por grandes oncologistas do país no hospital de Shenyang.

Os especialistas do centro médico determinaram em 7 de junho que Liu sofre um câncer de fígado com metástase no restante do corpo

Várias organizações de defesa dos direitos humanos afirmam que a libertação do dissidente não foi um gesto humanitário, e sim uma decisão para evitar a repercussão desastrosa para Pequim da morte na prisão de um opositor famoso.

O ativista se tornou em 2010 o primeiro chinês a receber o Nobel da Paz.

Liu Xiaobo é uma figura do movimento democrático da Praça Tiananmen (Paz Celestial), em 1989.

Desde 2009 cumpria pena de 11 anos de prisão por "subversão", por ter sido um dos autores da Carta 08, um texto que pedia democracia na China.

AFP