AFP

Autoridades turcas participam em Ancara do funeral do coronel Oguzhan Küçükdemirkol, dois dias após a sua morte na queda do helicóptero

(afp_tickers)

O separatista Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) assegurou nesta sexta-feira que as suas forças abateram o helicóptero turco que caiu na última quarta-feira, deixando 13 soldados mortos, informou a agência de notícias pró-curdos Firat.

O helicóptero "foi alcançado pelo fogo de uma de nossas unidades na zona. O helicóptero explodiu quando queria se afastar", disse o braço armado do PKK, segundo a Firat. O exército turco havia afirmado que se tratou de um "acidente".

Não foi possível verificar esta informação de maneira independente.

O Estado-Maior turco afirmou na quarta-feira que o helicóptero explodiu após ter se chocado "acidentalmente" com uma linha de alta tensão na província de Sirnak, no sudeste da Turquia, uma região de maioria curda, e disse que abriu uma investigação.

O sudeste da Turquia é cenário de sangrentos combates entre as forças de segurança turcas e o PKK, uma organização classificada como "terrorista" por Ancara e por seus aliados ocidentais.

O incidente com o helicóptero comoveu a Turquia, onde o funeral dos militares mortos foi transmitido ao vivo pelas principais emissoras.

Vários ministros, assim como o chefe do Estado-Maior dos exércitos, foram a Sirnak, onde ocorrem frequentes confrontos com o PKK.

Entre as vítimas destaca-se Aydogan Aydin, um general encarregado de coordenar as operações das forças de segurança contra os separatistas curdos na zona.

O conflito curdo já custou a vida de mais de 40.000 pessoas desde 1984. Os combates foram retomados em 2015 depois da ruptura de uma trégua que arruinou com os diálogos de paz entre Ancara e o PKK.

AFP

 AFP