Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Policiais conduzem operação no centro de Bogotá, no dia 31 de maio de 2016

(afp_tickers)

Casas de tortura e de esquartejamento foram descobertas no centro de Bogotá, durante uma operação policial realizada no fim de semana - informou o Ministério Público da Colômbia, nesta terça-feira.

Foram identificados "três lugares onde havia calabouços e masmorras e, além disso, tiros na parede e vestígios de sangue humano", confirmando uma "hipótese" que motivou o início das investigações há vários meses, relatou o diretor do Corpo Técnico de Investigação (CTI) do MP, Julián Quintana.

"Quando as vítimas já tinham ferimentos abertos, eram entregues aos cães para que, praticamente, fossem comidas vivas", descreveu, ao detalhar os métodos de tortura registrados nesses locais, conhecidos como "casas de pique".

Chamada de "Bronx" e dominada por uma "grande organização" dedicada ao tráfico de drogas, a área fica próxima a dependências do Exército e da Polícia, assim como da Casa de Nariño, sede da Presidência.

Segundo o presidente Juan Manuel Santos, "foram realizadas quase 30 diligências de batida e apreensão contra três grupos previamente identificados, que operavam nesse setor".

Nessa operação, a prefeitura de Bogotá já havia confirmado, no sábado (28), a libertação de 200 menores vítimas de exploração sexual. Elas se somaram aos mais de 1.500 moradores de rua "escravizados", que foram levados, nos últimos dias, para abrigos, onde serão cuidados.

As autoridades investigam o alcance internacional dessas redes.

Até agora, 11 pessoas foram presas nessa operação deflagrada há cerca de um ano, quando dois membros do MP foram sequestrados nessa zona. Após sua libertação, ambos relataram terem sido torturados no cativeiro.

AFP