Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O fechamento de dois sites comerciais na deep web foi anunaciado pelo vice-procurador-geral dos Estados Unidos Rod Rosenstein, o procurador-geral Jeff Sessions e outros oficiais

(afp_tickers)

As polícias dos Estados Unidos e da Europa anunciaram, nesta quinta-feira (20), o fechamento de dois enormes mercados da "deep web", nos quais ocorria um intenso volume de tráfico de drogas, softwares para hackers e armas.

O procurador-geral dos Estados Unidos Jeff Sessions disse que sites obscuros como AlphaBay e Hansa tinham milhares de vendedores de drogas letais, como fentanil, e outras substâncias e bens ilícitos que atendem mais de 200 mil consumidores no mundo todo.

"Esse caso, investigado por agentes e procuradores dedicados, mostra que você não está a salvo, você não vai conseguir se esconder. Nós vamos te encontrar, desmantelar sua organização e sua rede e vamos te processar", disse Sessions, alertando empresários que operam na "dark web" - considerado o lado mais obscuro da "deep web", onde são feitas as transações ilícitas.

Há três semanas, o AlphaBay tinha parado de funcionar sem maiores explicações.

Em 5 de julho, o canadense que administrava o portal, Alexandre Cazes, foi preso na Tailândia. No começo dessa semana, Cazes foi encontrado morto em sua cela. A polícia tailandesa afirma que ele se enforcou com uma toalha.

O fechamento do Alphabay direcionou todo o trafego para o Hansa.

Os milhares de usuários que migraram não sabia que a polícia holandesa já estava no controle do Hansa - ou seja, já podia identificar e rastrear vendedores e compradores de produtos ilícitos.

Agora, o Hansa também foi fechado, anunciou o diretor executivo da Europol, Rob Wainwright.

"A aplicação da lei em uma ação conjunta em escala global passa um recado claro de que nós temos os meios para identificar a criminalidade e rebatê-la, até em áreas como a 'dark web'", afirmou Wainwright.

O AlphaBay era um mercado gigante de bens ilícitos, dez vezes maior que o notório negócio digital da "deep web" Silk Road, fechado pelo FBI (a Polícia Federal americana) em 2013.

Na época do fechamento, ele tinha mais de 250 mil listagens de drogas ilícitas e produtos químicos tóxicos, de acordo com o Departamento de Justiça americano.

O site também tinha 100 mil anúncios de armas, documentos pessoais fraudados ou roubados, produtos falsificados e ferramentas para hackear computadores ou instalar malwares.

Os mercados operam na internet profunda usando o Tor, software que garante o anonimato dos usuários.

Com a queda de Alphabeat e Hansa, autoridades garantiram ter congelado milhões de dólares em moedas digitais, como Bitcoins, usadas para fazer negócios online sem identificar compradores e vendedores.

Eles também apreenderam milhões de dólares em dinheiro, carros de luxo e casas em quatro países, inclusive um hotel da Tailândia, de Cazes e sua mulher.

Wainwright disse que a investigação levou à identificação de vários membros do crime organizado e que agentes de inteligência foram distribuídos na operação em 37 países.

"Essa operação é um exemplo do avanço da habilidade da Justiça de atacar os criminosos, mesmo na internet profunda", afirmou. "Esse ataque coordenado contra os dois mercados é só uma prévia do que vem por aí no futuro".

AFP