Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) O produtor americano Harvey Weinstein

(afp_tickers)

O escândalo de agressões sexuais de Hollywood já tem seu capítulo policial: agentes de Nova York estão recolhendo evidências para pedir a prisão do produtor Harvey Weinstein por estupro, enquanto oficiais britânicos investigam o ator Kevin Spacey por suposta agressão sexual.

As denúncias contra Spacey por agressão sexual de adolescentes coincidem com o escândalo em torno do outrora todo-poderoso produtor Harvey Weinstein, que foi denunciado por mais de 100 mulheres de assédio, agressão sexual, ou estupro.

A atriz americana de origem espanhola Paz de la Huerta, de 33 anos, denunciou em 25 de outubro que há sete anos foi estuprada por Weinstein em duas ocasiões, e sua narrativa foi "detalhada e crível", disse a jornalistas o chefe de detetives da Polícia de Nova York, Robert Boyce.

"Temos um caso real aqui (...). Weinstein está fora do estado, precisaríamos de uma ordem de prisão para detê-lo. Agora estamos juntando nossa evidência", afirmou Boyce a jornalistas.

A Procuradoria de Manhattan nomeou um procurador especial de crimes sexuais para acompanhar o caso.

- "Como um porco" -

Da primeira vez "senti medo, não foi consensual, tudo aconteceu muito rápido. Rapidamente se encaixou dentro de mim e quando acabou disse que me ligaria", declarou na quinta-feira à revista Vanity Fair a atriz conhecida por seu papel na série da HBO "Boardwalk Empire".

O segundo estupro teria ocorrido no mês seguinte. O produtor, embriagado, apareceu em seu prédio e exigiu subir. "Foi repugnante, como um porco (...), me estuprou", disse De la Huerta.

Segundo uma contagem publicada no Twitter por uma de suas supostas vítimas, a italiana Asia Argento, 94 mulheres foram assediadas ou abusadas por Weinstein e 14 dizem ter sido estupradas.

A Polícia de Nova York teria confirmado anteriormente que investigava a denúncia da atriz Lucia Evans, que acusou o produtor de obrigá-la a fazer sexo oral nele em 2004.

Weinstein insiste que todas as relações foram consensuais.

Sua porta-voz, Holly Baird, disse à AFP que o produtor começou a fazer terapia e "procura um caminho melhor".

- Spacey, um ídolo caído em desgraça -

As acusações de abusos sexuais contra jovens se multiplicaram nos últimos dias contra Kevin Spacey, de 58 anos, duas vezes vencedor do Oscar e conhecido sobretudo por seus papéis como o corrupto presidente americano Frank Underwood, na série "House of Cards", e o pai de família em plena crise da meia-idade em "Beleza Americana".

A assessora do ator, Staci Wolfe, e sua agência, Creative Artists Agency, confirmaram nesta sexta-feira (3) à AFP que já não o representam mais.

A Polícia britânica anunciou nesta sexta que investiga uma acusação de agressão sexual cometida em 2008 no sul de Londres por um homem que a emissora britânica SkyNews e o BuzzFeed News identificaram como Spacey.

Na quinta-feira, nos Estados Unidos, um ator que não quis revelar sua identidade o acusou de tentar estuprá-lo quando tinha 15 anos.

Em uma longa entrevista com a revista Vulture, este homem relata que em 1981, aos 12 anos, conheceu Spacey, então com 22, em uma oficina de teatro. Dois anos depois o encontrou em um festival de teatro em Nova York e começaram uma relação sexual. Quando tinha 15 anos, Spacey tentou estuprá-lo, mas o adolescente o afastou com força.

"Diria que é um pedófilo e um predador sexual", declarou.

A emissora CNN entrevistou oito funcionários de "House of Cards" que deram detalhes escabrosos do comportamento "predador" de Spacey no set.

"Brincava de luta (com os meninos da equipe) para poder tocá-los", contou uma assistente de produção, que disse tê-lo visto apertando a mão de alguns "e depois agarrando a mão deles e colocando entre as suas pernas, e tocava entre as pernas deles".

A produtora de "House of Cards", Media Rights Capital, disse apenas ter estado a par de um caso, em 2012, durante a gravação da primeira temporada, quando um membro da equipe denunciou ter sido alvo de um comentário e um gesto descabido de Spacey.

Os responsáveis asseguram que agiram "imediatamente" e que "o problema foi resolvido".

A Netflix e a produtora de "House of Cards" suspenderam nesta semana a realização de sua sexta e última temporada, prevista para 2018.

Spacey está no olho do furacão desde que o ator americano Anthony Rapp, de 46 anos, o acusou de tentar agredi-lo sexualmente em 1986, quando tinha somente 14 anos.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP