Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Tropa de choque se aproximam para negociar com um detento (D) durante rebelião no Complexo Penitenciário de Alcaçuz, próximo à Natal, Rio Grande do Norte, no dia 16 de janeiro de 2017

(afp_tickers)

A Polícia dispara balas de borracha na direção dos detentos amotinados no presídio Alcaçuz, em Natal (Rio Grande do Norte), onde um massacre resultante do confronto entre facções rivais deixou 26 mortos no fim de semana, reportaram jornalistas da AFP no local.

Policiais posicionados nos muros ao redor do presídio atiravam na direção dos presos, semeando pânico no interior do estabelecimento.

Os detentos se refugiaram sobre os telhados, enquanto outros usavam móveis e colhões para se proteger.

As esposas dos presidiários concentradas no exterior da penitenciária choravam e gritavam a cada detonação.

O violento confronto entre o Primeiro Comando da Capital (PCC), de São Paulo, e o Comando Vermelho (CV), do Rio de Janeiro, pelo controle das rotas de cocaína do país incendiou os presídios brasileiros desde o começo do ano, quando 134 detentos foram assassinados com violência extrema, segundo dados do ministério da Justiça citados pelo jornal A Folha de São Paulo.

AFP