AFP

A corda apareceu na quarta-feira (31) em uma das salas do museu

(afp_tickers)

A polícia de Washington anunciou a abertura de uma investigação após ter sido encontrada uma forca pendurada no Museu Nacional de História e Cultura Afro-americana, um símbolo assustador que remete à época da escravidão nos Estados Unidos.

Após a descoberta do objeto no museu, inaugurado no ano passado pelo então presidente americano, Barack Obama, em um local situado próximo à Casa Branca, reações de indignação dos cidadãos repercutiram por todo território americano.

A corda apareceu na quarta-feira (31) em uma das salas do museu, que logo depois suspendeu parcialmente suas atividades por quase três horas, tempo necessário para que a polícia averiguasse se havia indícios de perigo aos visitantes.

"O que aconteceu hoje é uma recordação dolorosa aos contínuos desafios enfrentados pelos afro-americanos", declarou Lonnie Bunch, diretor e fundador do museu, em comunicado.

Bunch denunciou o ato como "cruel", e ressaltou que a corda representa "um símbolo de extrema violência aos afro-americanos".

Desde a sua inauguração, o Museu Nacional de História e Cultura Afro-americana mantém uma rotatividade ininterrupta de público. Para visitá-lo, é necessário comprar a entrada pela internet com meses de antecedência.

Na última sexta-feira (26) uma patrulha policial encontrou uma corda para enforcamento pendurada em uma árvore nas proximidades do Museu Hirshhorn, outro museu em Washington, porém com exposições que englobam a arte moderna e contemporânea.

AFP

 AFP