Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Policiais em Buenos Aires no dia 16 de janeiro de 2017

(afp_tickers)

A polícia utilizou golpes de cassetete, bombas de gás lacrimogêneo e jatos d'água para reprimir nesta quarta-feira um protesto de organizações que exigem assistência social do governo, a poucos metros do Obelisco de Buenos Aires.

Sete pessoas foram detidas, entre elas um menor, confirmou o defensor do Povo da Cidade, Alejandro Amor.

As forças policiais avançaram sobre centenas de manifestantes, que por várias horas bloquearam parte da Avenida 9 de Julho - diante do ministério do Desenvolvimento Social - queimando pneus.

Os manifestantes exigem ajuda para as cooperativas de trabalho, a decretação da emergência alimentar e tarifária para fábricas recuperadas e restaurantes sociais, entre outras medidas.

O protesto ocorre em um contexto de dificuldades econômicas na Argentina, onde a inflação atingiu 10,5% nos primeiros cinco meses de 2017 e o desemprego chegou a 9,2% no primeiro trimestre.

Carros com canhões d'água e policiais motorizados cercaram os manifestantes, que correram pelas ruas do centro de Buenos Aires em pleno horário de pico.

Segundo o instituto estatal Indec, 29,7% da população argentina vive atualmente na pobreza.

AFP