Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) Policiais uruguaios em Montevidéu

(afp_tickers)

Uma operação da polícia uruguaia em uma casa de leilões permitiu a recuperação de peças arqueológicas e históricas de diversas origens, algumas de mais de 2.300 anos de antiguidade, que tinham sido roubadas.

Um comunicado do Ministério de Interiores, divulgado após a operação realizada dias antes em uma casa de leilões local, afirma que algumas das peças pertencem à coleção do Museu Taranco de Montevidéu, e que tinham sido roubadas há dois anos.

Durante a operação, que contou com o apoio da Interpol, foi encontrado, entre outros objetos, um vaso antigo do século III A.C. A peça, ressalta o comunicado, foi roubada do museu em 2015.

Outros objetos, que segundo as autoridades também podem ter sido roubados, estão sendo investigados pela Interpol.

A polícia confirma ter identificado o autor dos roubos, que encontra-se preso por outros delitos.

"Encontramos peças da Síria, Grécia, Egito, arte pré-colombiana, maia, fenícia e peruana, que em muitos países são proibidas de serem comercializadas", declarou o oficial responsável pela operação, Douglas da Silva, citado no comunicado.

No total, 300 das peças que seriam leiloadas não possuíam a documentação necessária, indicou o ministério.

AFP