Navigation

Políticos mexicanos são detidos no Brasil por agressão e assédio sexual

Vista da Cidade do México afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 02. julho 2014 - 12:49
(AFP)

Dois integrantes da cúpula do Partido Ação Nacional (PAN) na Cidade do México foram detidos em Fortaleza acusados de agressão e assédio sexual contra um casal de brasileiros, informou nesta terça-feira um dirigente do grupo político.

Rafael Miguel Medina Pederzini, 31, e Sergio Israel Eguren Cornejo, 37, foram detidos no domingo em Fortaleza, no dia da partida entre Holanda e México (2-1), pelas oitavas de final da Copa do Mundo.

A dupla teria passado a mão na bunda de uma brasileira, cujo companheiro reagiu e foi agredido violentamente pelos mexicanos, que são ex-deputados.

"Não temos a confirmação do que ocorreu, mas se isto realmente aconteceu (a agressão ao casal) serão expulsos do partido", declarou à imprensa o presidente do PAN, Gustavo Madero.

Segundo a imprensa brasileira, os dois agressores podem ser condenados a uma pena de entre dois e sete anos de prisão no Brasil por assédio sexual e lesão corporal grave.

Medina e Eguren, que negam as acusações, fazem parte do Comitê Diretor do PAN na Cidade do México e têm cargos importantes na delegação de Benito Juárez, um dos 16 territórios da capital mexicana.

A subsecretária para a América Latina e o Caribe da chancelaria mexicana, Vanessa Rubio, disse que seu departamento está acompanhando o caso para que haja um processo justo.

A embaixadora do México no Brasil, Beatriz Paredes, revelou à rádio mexicana Fórmula que os políticos, detidos com outros dois mexicanos, se viram envolvidos em "uma briga da qual participaram várias pessoas".

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Modificar sua senha

Você quer realmente deletar seu perfil?