Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) Foto mostra trabalhadores cortando árvore atacada por vermes na floresta de Bialowieza próxima à Bialowieza, na Polônia, em 31 de maio de 2016

(afp_tickers)

A Polônia infringiu a legislação europeia sobre a proteção da fauna e da flora com a exploração na floresta milenar de Bialowieza, um dos últimos bosques virgens da Europa, afirmou a justiça europeia.

As operações de gestão florestal ativa levam ao desaparecimento de uma parte desta área protegida na UE e declarada Patrimônio Mundial da Unesco, afirmou o Tribunal de Justiça da União Europeia (TJUE).

Varsóvia havia justificado sua ação como uma medida para lutar contra a propagação de insetos, mas o tribunal considerou que as autoridades polonesas não se asseguraram com antecedência que não representariam prejuízos para a floresta.

O tribunal com sede em Luxemburgo também considera que as medidas da Polônia não levaram em consideração as normas sobre as aves, para evitar uma deterioração em suas áreas de repouso e reprodução.

Em uma decisão prévia, em novembro, o TJUE ameaçou a Polônia com multa de "pelo menos 100.000 euros diários" caso o país não interrompesse imediatamente as medidas.

O governo nacionalista polonês anunciou então a retirada das máquinas da floresta e a continuidade das ações de segurança por outros meio.

A Polônia enfrenta a UE em vários casos, o principal deles diz respeito à reforma do sistema judiciário do país, que para a Comissão Europeia pode prejudicar o Estado de direito no país, que integra o bloco desde 2004.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.










AFP