Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

A advogada Gloria Allred (E) e a mulher identificada somente como Robin acusam Roman Polanski de abusar sexualmente de Robin quando ainda era menor de idade

(afp_tickers)

Uma terceira mulher acusou, nesta terça-feira, o cineasta Roman Polanski de abuso sexual quando ainda era menor de idade, quatro décadas depois de ele fugir dos Estados Unidos pelo estupro de outra menina.

A mulher, identificada somente como Robin, disse em coletiva em Los Angeles que foi uma "vítima sexual" do lendário cineasta franco-polonês quando tinha 16 anos, em 1973.

"Um dia depois do que aconteceu, disse a um amigo o que o senhor Polanski tinha feito comigo", declarou, lendo um comunicado preparado.

"A razão, excetuando-se isso, de eu não ter contado a ninguém é porque não queria que meu pai fizesse algo que pudesse levá-lo à prisão pelo resto de sua vida".

Robin disse ter comparecido ao tribunal depois de a vítima do caso de estupro contra o famoso diretor pedir às autoridades que arquivassem o caso.

A advogada Gloria Allred, que representa a suposta vítima, afirmou que o incidente aconteceu no sul da Califórnia, mas acrescentou que a sua cliente não entraria em mais detalhes.

Embora o caso tenha prescrito, ela poderia ser convocada para depor em um julgamento futuro, disse a advogada.

O diretor de "O Bebê de Rosemary" e "Chinatown", que completará 84 anos na sexta-feira, foi acusado de drogar Samantha Geimer quando tinha 13 anos antes de estuprá-la na casa de Jack Nicholson, em Los Angeles, em 1977, enquanto o ator estava ausente.

Polanski admitiu o estupro estatutário depois que uma série de acusações mais graves foram descartadas, e passou 48 dias sob custódia para ser submetido a uma avaliação psiquiátrica antes de ser liberado.

De acordo com documentos judiciais arquivados por seu advogado, Harland Braun, o juiz prometeu a Polanski que esse período seria o único de sua pena.

Robin disse ter ficado "furiosa" quando Geimer apareceu no Superior Tribunal de Los Angeles em junho para reforçar que o cineasta havia cumprido a sua pena e o que assunto deveria ser resolvido logo.

"Estou falando agora para que Samantha e o mundo saibam que ela não foi a única vítima menor de idade de Roman Polanski", declarou.

"Isso ainda não acabou e acredito que Roman Polanski deva ser responsabilizado por sua conduta criminosa com Samantha Geimer".

Allred disse que Polanski ficou livre para retirar a declaração de culpa no caso de Geimer para enfrentar um novo julgamento das acusações pelas quais foi originalmente indiciado.

Robin não vai apresentar uma queixa civil, mas está disposta a testemunhar sob juramento se houver algum julgamento criminal, segundo Allred.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP