Navigation

Policiais detidos por agressão durante protestos contra Copa

Policiais na região do Maracanã antes da final da Copa do Mundo em 13 de julho afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 16. julho 2014 - 10:08
(AFP)

Quatro policiais foram detidos por agressão durante os protestos no Rio de Janeiro contra a Copa do Mundo, informou a Polícia Militar nesta terça-feira.

Os quatro policiais participaram de uma operação no domingo, simultânea à final da Copa do Mundo, e "receberam instruções para se apresentar ao batalhão de grandes eventos, onde permanecerão detidos".

No domingo passado, a PM dispersou cerca de 300 manifestantes que pretendiam chegar ao Maracanã, durante a final da Copa do Mundo entre Alemanha e Argentina (1-0).

Um dos policiais foi acusado de agredir o fotógrafo canadense Jason Ohara, que teve sua câmera roubada. Imagens divulgadas no site do jornal Folha de São Paulo mostram a vítima no chão sendo chutada no rosto por um PM.

Outro policial é acusado de agredir um câmera e um terceiro, de chutar um manifestante durante o protesto, contra o qual a PM utilizou bombas de efeito moral e de gás lacrimogêneo.

Uma manifestante acusou um quarto PM de assédio, e a "denúncia é baseada em um vídeo", informou a Polícia Militar.

Nesta terça-feira, cerca de 500 pessoas realizaram um protesto diante do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro para exigir a libertação de 19 manifestantes presos em uma operação policial prévia à final da Copa.

O Tribunal de Justiça do Rio decretou a soltura, no início da noite desta terça, de 13 dos 19 detidos, sob a acusação de formação de quadrilha.

No final de semana, o juiz Flávio Itabaiana Nicolau emitiu 26 mandados de prisão contra pessoas que articulariam atos violentos para o domingo, durante a final da Copa. A polícia conseguiu deter 19 e os demais estão foragidos.

Segundo o TJ, o juiz Nicolau não apresentou elementos que comprovem a necessidade de que essas pessoas permanecessem presas, o que justifica os habeas-corpus.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Modificar sua senha

Você quer realmente deletar seu perfil?