Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Parentes do policial Mohamad Ayub Pandith, que morreu após ser espancado por multidão, carregam seu caixão

(afp_tickers)

Uma multidão enfurecida agrediu até a morte um policial acusado de espionar a grande mesquita da Caxemira, na Índia, informaram as autoridades locais e testemunhas.

O fato aconteceu diante da Jamia Masjid, a grande mesquita de Srinagar, a capital de verão do estado de Jammu e Caxemira.

O vale de Srinagar, situado na parte administrada pela Índia, registra quase diariamente confrontos entre as forças de segurança e rebeldes, assim como manifestações que terminam com mortes.

"Mais um policial deu sua vida pelo dever", anunciou a força de segurança ao informar a morte do agente, "agredido até a morte pela multidão".

O policial Mohamad Ayub Pandith foi cercado pelas pessoas quando fotografava com o telefone a mesquita durante "a Noite do Destino", um momento importante do Ramadã muçulmano.

De acordo com testemunhas, vários fiéis pediram ao policial, que estava com roupas civis, que apresentasse uma identificação.

O policial se assustou, pegou sua arma e atirou, o que deixou três feridos.

"Em reação, vários jovens avançaram contra ele e começaram a agredi-lo", disse à AFP uma testemunha.

A principal autoridade muçulmana da Caxemira, Mirwaiz Umar Farooq, condenou a morte do policial.

AFP