AFP

O incidente ocorreu no dia 6 de julho de 2016

(afp_tickers)

Um juri de Minnesota absolveu nesta sexta-feira o policial que matou o motorista negro Philando Castile, cuja agonia foi gravada em vídeo e chocou os Estados Unidos.

O policial de origem latina Jeronimo Yanez, 29 anos, foi declarado inocente das acusações de assassinato em segundo graudo e uso de arma letal em situação que colocou em risco a namorada de Castile, Diamond Reynolds, e sua filha de quatro anos.

As duas estavam no carro quando o policial atirou em Castile, 32 anos, com o veículo parado.

O incidente ocorreu no dia 6 de julho de 2016 e foi parcialmente gravado por Reynolds, que postou o vídeo no Facebook mostrando a agonia do namorado no banco do motorista.

A gravação desatou uma onda de protestos nos Estados Unidos e trouxe à tona a permanente tensão entre a polícia e os afro-americanos.

A família de Castile ficou furiosa com a decisão do juri, e vários grupos protestaram contra a absolvição.

"Estou furiosa. Sim, estou", disse Valerie, mãe de Castile. "O sistema segue falhando com os negros".

O juri deliberou durante cerca de 30 horas antes de chegar a uma decisão, e pediu ao juiz para reexaminar o vídeo no Facebook, assim como a gravação do carro da polícia.

Os seis policiais acusados em 2015 do assassinato do negro Freddie Gray, que morreu após sofrer lesão na coluna vertebral quando era detido e jogado na parte traseira de um furgão da polícia, também foram absolvidos.

AFP

 AFP