O secretário americano de Estado, Mike Pompeo, lamentou nesta sexta-feira a atitude da NBA em relação à China, em meio à polêmica por um tuíte sobre Hong Kong de um dirigente da liga de basquete dos EUA.

"O Partido Comunista chinês prende e maltrata mais de um milhão de muçulmanos uigures em campos de concentração em Xinjiang", denunciou o secretário de Estado durante discurso em uma organização cristã de Nashville (Tennessee).

"A novela '1984' de George Orwell se torna realidade lá. Gostaria que a NBA reconhecesse isto", disse Pompeo.

A polêmica entre a China e a NBA começou após Daryl Morey, diretor-geral da equipe texana do Houston Rockets, escrever um tuíte no qual expressava seu apoio aos manifestantes em Hong Kong.

Esta antiga colônia britânica e agora território autônomo chinês é sacudida por manifestações cada vez mais violentas contra o crescente controle de Pequim.

Após o tuíte de Morey crítico à China, que é um dos principais mercados do basquete americano, a NBA emitiu um comunicado se dizendo "profundamente decepcionada com as observações impróprias" do dirigente dos Rockets.

A posição da NBA foi criticada por funcionários americanos, mas a instituição disse que não pedirá desculpas e defendeu a "liberdade de expressão".

Na quinta-feira foi disputada sem incidentes, em Xangai, uma partida de exibição entre Los Angeles Lakers e os Brooklyn Nets.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


Teaser Instagram

Siga-nos no Instagram

Siga-nos no Instagram

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.