Navigation

Porte de armas no Reino Unido é condicionado à análise das redes sociais dos solicitantes

Porte de armas no Reino Unido é condicionado à análise das redes sociais dos solicitantes afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 16. agosto 2021 - 14:10
(AFP)

A polícia britânica passará a monitorar de perto as redes sociais de solicitantes de porte de armas, anunciou o governo britânico nesta segunda-feira(16), após um tiroteio mortal no sudoeste da Inglaterra.

O suposto autor do tiroteio em Plymouth, que se suicidou depois de matar cinco pessoas na quinta-feira, recuperou sua arma em julho após ter sua licença suspensa por vários meses sob a acusação de agressão.

Jake Davidson exibiu em suas contas no Facebook e no YouTube tendências depressivas e simpatia pelo movimento misógino "incel", vinculado a atos de violência nos Estados Unidos.

O governo britânico pediu à polícia da Inglaterra e do País de Gales que revejam seus protocolos de permissão e restituição de armas, assim como o possível cancelamento de autorizações já concedidas.

"Novas diretrizes" serão dadas e preveem "a análise das redes sociais", disse o Ministério do Interior em um comunicado.

De acordo com o chefe da Polícia de Devon e Cornwall, Shaun Sawyer, citado pelo jornal The Sun, os oficiais até agora não verificaram a vida digital das pessoas que tiveram seu porte de armas restituído, pois isso constituiria um ataque à vida privada.

Partilhar este artigo

Modificar sua senha

Você quer realmente deletar seu perfil?