Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Os presidentes Donald Trump (e) e Recep Erdogan

(afp_tickers)

O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, atribuiu a queda da lira a um complô político, em meio à crise com os Estados Unidos, e disse que seu país buscará novos mercados e aliados.

"O objetivo da operação é fazer com que a Turquia se renda em todos os âmbitos, desde as finanças até a política. Enfrentamos novamente um complô político dissimulado. Com a ajuda de Deus, iremos superá-lo", disse Erdogan diante de membros de seu partido na cidade de Trabzon.

A lira turca caiu mais de 16%, alcançando mínimos históricos frente ao dólar, como resultado da tensão com os Estados Unidos envolvendo vários assuntos, entre eles a prisão de um pastor americano e a cooperação de Washington com a milícia curda síria na luta contra o grupo jihadista Estado Islâmico.

"Só podemos dizer adeus àquele que sacrifica a sua associação estratégica e meio século de relação com um país de 81 milhões de habitantes em nome das relações com grupos terroristas. Ousa sacrificar a Turquia e 81 milhões por um pastor ligado a grupos terroristas?", criticou Erdogan.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou esta semana que havia dobrado as tarifas sobre a importação de aço e alumínio da Turquia, o que levou a lira turca a novos mínimos históricos frente ao dólar.

"Vamos dar a nossa resposta, buscando novos mercados, novas associações e alianças, a quem trava uma guerra econômica com o mundo inteiro, que inclui o nosso país", concluiu Erdogan.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.










AFP