Navigation

Presidente de Cuba estreia no Twitter e marca novo estilo

Miguel Díaz-Canel em 19 de abril na ONU afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 10. outubro 2018 - 17:15
(AFP)

O presidente de Cuba, Miguel Díaz-Canel, estreou nesta quarta-feira (10) no Twitter com uma mensagem de continuidade, mas confirmando uma mudança de estilo em comparação com seus antecessores Fidel e Raúl Castro.

"Estamos em La Demajagua, o lugar que soma sentimentos patrióticos #SomosCuba e #SomosContinuidad", escreveu em seu primeiro tuíte Díaz-Canel, de 58 anos, que assumiu o cargo em 19 de abril, sucedendo os irmãos Castro.

Nem Fidel, antes de sua morte em 2016, nem Raúl abriram contas oficiais no Twitter.

Para a sua estreia nesta rede social, o líder cubano escolheu o dia em que os cubanos comemoram o 150º aniversário do "Grito de Yara", que lembra o início da guerra de independência contra o colonialismo espanhol em 1868, na fazenda "La Demajagua" (sudeste).

Em sua biografia no Twitter, Díaz-Canel se diz "comprometido com as ideias de Martí (o herói nacional José Martí), de Fidel e Raúl".

Diante do "cerco imperial (dos Estados Unidos)" e do embargo imposto a Cuba desde 1962, "não falharemos, não trairemos e não nos renderemos jamais", declarou Díaz-Canel, em um discurso transmitido pela televisão cubana.

"Lutamos 150 anos e continuaremos lutando até a vitória sempre", acrescentou.

Cuba e Estados Unidos tiveram uma histórica aproximação entre 2014 e 2016, durante a gestão de Barack Obama e Raúl Castro, restabelecendo relações diplomáticas e reabrindo embaixadas. Mas este bom momento acabou com a chegada de Donald Trump ao poder, que agravou o bloqueio à ilha.

Sob o governo de Díaz-Canel, que considera a informatização da sociedade cubana uma prioridade, a comunicação presidencial ganhou nova vida no país.

De acordo com observadores, esta estratégia aproximar o líder cubano a uma população que ainda o conhece pouco, e que não desfruta da legitimidade de seus antecessores poderosos.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.