AFP

O presidente iraniano Hassan Rohani durante entrevista coletiva em Teerã em 17 de janeiro

(afp_tickers)

O presidente iraniano, Hassan Rohani, acusou neste sábado seu colega americano, Donald Trump, de ajudar os grupos "terroristas" na Síria, em um discurso transmitido pela televisão estatal Irib.

"Este senhor que assumiu o poder nos Estados Unidos dizia querer lutar contra o terrorismo, mas hoje todos os grupos terroristas na Síria estão comemorando o ataque americano", disse Rohani sem citar diretamente Trump.

Os Estados Unidos atacaram na sexta-feira uma base aérea do exército sírio em resposta a um suposto ataque químico na terça-feira contra a cidade rebelde de Khan Sheikhun.

"Se você dizia a verdade (afirmando querer lutar contra o terrorismo durante a campanha eleitoral americana), por que sua primeira ação foi ajudar os terroristas? Por que atacou o exército sírio, que está em guerra contra os terroristas?", acrescentou Rohani.

O Irã, que apoia financeiramente e militarmente o regime do presidente sírio, Bashar al-Assad, condenou na sexta-feira o ataque americano contra a base aérea de Al Shayrat (centro da Síria).

Rohani pediu a criação de uma "comissão independente (...) com a presença de países neutros sobre o suposto ataque químico, já que, segundo as Nações Unidas, a Síria não possui armas químicas".

As autoridades iranianas insistiram no fato de que o regime de Damasco realizou o desarmamento químico, o que não é o caso, segundo elas, dos grupos armados rebeldes e jihadistas.

O presidente Rohani afirmou que depois da "agressão" americana contra a Síria o Irã deve "se preparar para qualquer imprevisto".

"Não sabemos os que os novos líderes americanos preparam para a região", concluiu.

AFP

 AFP