Navigation

Presidente peruano diz ao MP estar disponível para ser investigado

Presidente do Peru Martin Vizcarra (E) cumprimenta primeiro-ministro Salvador del Solar em 11 de março de 2019 em Lima afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 01. junho 2019 - 19:37
(AFP)

O presidente peruano, Martín Vizcarra, se colocou à disposição do Ministério Público nas investigações de um suposto crime contra a administração pública quando era governador do estado de Moquegua (sul), entre 2011 e 2014.

"Quero me colocar a sua disposição para que vocês realizem as investigações que considerarem pertinentes e estou disposto a me apresentar em seu habinete quantas vezes for necessário a fim de provar mais uma vez minha participação correta na função pública", declarou o mandatário em uma carta ao procurador de Moquegua divulgada neste sábado, apesar de ter imunidade presidencial.

As investigações se referem a "um suposta delito contra a administração pública na modalidade de negociação incompatível", afirma a carta.

Assim, o presidente saiu à frente das declarações do ex-procurador-geral Pedro Chávarry sobre possíveis processos que poderia enfrentar ao deixar a presidência, em 2021, por seu governo.

Na carta, Vizcarra lembra o promotor de Moquegua que durante sua gestão ele teve 50 dnúncias contra ele e que estas foram arquivadas.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.