Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Atul Gupta (na foto) é um dos três irmãos Gupta acusados de exercer influência no governo de Zuma

(afp_tickers)

O presidente da África do Sul, Jacob Zuma, considerou nesta quarta-feira "muito injusto" que seu partido, o Congresso Nacional Africano (ANC), exija a sua renúncia, estimando que não há nada que justifique essa medida.

Após suas declarações à televisão pública, Zuma anunciou que fará uma declaração ao país no decorrer do dia.

"É muito injusto que esta questão seja levantada permanentemente", declarou Zuma em entrevista com a televisão pública SABC.

"O que eu fiz? Ninguém me deu razões", acrescentou em referência ao pedido de renúncia do Comitê Nacional Executivo (NEC) de seu partido.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.









swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP