Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Moon se encontra com senadores, incluindo o líder Mitch McConnell (3E), no Capitólio

(afp_tickers)

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e seu homólogo sul-coreano, Moon Jae-In, analisaram nesta quinta-feira como deter o programa nuclear da Coreia do Norte, mas não chegaram a um acordo sobre a linha de ação mais pertinente.

Trump recebeu Moon na Casa Branca para um jantar formal que antecedeu o que será uma longa discussão sobre o tema norte-coreano.

"Teremos uma tremenda discussão esta noite", disse Trump no jantar, ao lado de sua esposa, Melania, e de Moon.

O líder sul-coreano estava acompanhado de sua mulher, Kim Jung-soon, e de membros do seu gabinete.

"Sei que tem discutido com o nosso pessoal algumas das complexidades da Coreia do Norte, do Comércio e outras coisas, e falaremos sobre isto a medida em que avançarmos, e isto poderá entrar bem pela noite", declarou Trump.

O governo americano tem tentado isolar o regime da Coreia do Norte depois que este realizou uma série de testes de mísseis, e convencer a China - principal aliado diplomático de Pyongyang - a ajudar que o líder norte-coreano Kim Jong-Un desista de seus planos.

Em seu voo para os Estados Unidos na quarta-feira, Moon disse que Seul e Washington devem oferecer concessões a Pyongyang, caso este cumpra com suas demandas, de acordo com vários relatórios provenientes da Coreia do Sul.

"Sem gratificar a Coreia do Norte por suas má ações, a Coreia do Sul e os Estados Unidos devem se perguntar o que concederão à Coreia do Norte em troca de um congelamento de seu programa nuclear", disse.

"Um congelamento nuclear é uma porta de diálogo e a saída do diálogo é um completo desmantelamento nuclear", acrescentou.

Moon também se reuniu nesta quinta-feira com os chefes republicano e democrata na Câmara de Representantes, Paul Ryan e Nancy Pelosi, respectivamente, em uma sala do Capitólio.

"Compartilhamos preocupações tais como as ameaças a nossos dois países por parte da Coreia do Norte", disse Ryan a Moon.

Moon também se reuniu com o líder da maioria republicana no Senado, Mitch McConnell, o presidente do Comitê de Serviços Armados do Senado, John McCain, e seu par do Comitê de Relações Exteriores, Bob Corker.

Washington e Seul "compartilham exatamente o mesmo objetivo, que é o desmantelamento completo dos programas de mísseis e nucleares da Coreia do Norte", declarou um funcionário americano de alto escalão.

"Não vemos nenhuma evidência de que eles [a Coreia do Norte] estejam tentando reduzir a ameaça de armas nucleares ou a tecnologia de mísseis balísticos", disse. Também espera-se que na agenda exista um polêmico sistema de defesa de mísseis.

AFP