Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Os presidentes da França, François Hollande, e da Alemanha, Joachim Gauck, participam de cerimônia em memória da I Guerra Mundial

(afp_tickers)

Os presidentes da França, François Hollande, e da Alemanha, Joachim Gauck, recordaram juntos neste domingo em Hartmannswillerkopf (leste da França) a I Guerra Mundial, com em Hartmannswillerkopf com um apelo para que a construção europeia siga avançando.

"França e Alemanha, superando sofrimentos e o conflito, tiveram a ousadia de se reconciliarem. Foi a melhor forma de prestar homenagem aos mortos e de dar aos vivos garantias de paz", disse Hollande em seu discurso.

"A integração da Europa é, sem dúvida, um projeto difícil mas as gerações que nos precederam, a nossos ancestrais que lutaram aqui em Hartmannswillerkopf, ou em Marne ou em Verdun, gostariam de ter os nossos problemas", disse Joachim Gauck.

Acompanhados solenemente por quase 60 ex-combatentes do departamento francês do Alto Rin com bandeiras, Hollande e Gauck percorreram juntos a "trincheira de honra" que leva à cripta do Monumento de Hartmannswillerkopf, em memória às vítimas do conflito (1914-1918).

Os dois presidentes também assinaram uma declaração comum em uma ceremônia para colocar a primeira pedra do museu Hartmannswillerkopf, que abrirá em 2017. Será a primeira instituição dedicada a esta guerra criada conjuntamente pelos dois Estados que foram inimigos.

Hollande e Gauck ficaram alguns instantes na cripta, diante de um escudo de bronze sob o qual se calcula que estão as cinzas de 12.000 soldados franceses e alemães que morreram nos combates.

Depois, sob o foco das câmaras, se abraçaram.

"É um testemunho da força da amizade entre os dois países, que nos permite relembrar juntos nossa história comum, inclusive a mais dramática", ressaltou a presidência francesa.

"O simbolismo ainda maior porque aquele 3 de agosto de 1914 abriu um período de 30 anos de conflitos, rancores, massacres e barbárie entre França e Alemanha", segundo Hollande.

François Hollande e Joachim Gauck tomaram café da manhã juntos na granja de Molkenrain, onde foi filmado "Uma mulher para dois", do cineasta francês François Truffaut.

Na segunda-feira, os presidentes voltarão a se encontrar em Liege, na Bélgica, com uma dezena de outros líderes para recordar o centenário da invasão alemã do Reino da Bélgica, em 4 de agosto de 1914.

Embora os números variem de acordo com os historiadores, se calcula que mais de 70 países participaram na I Guerra Mundial, em que 70 milhões de soldados combateram e que deixou um saldo de 10 milhões de mortos.

AFP