Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Dois policiais conversam em Fátima, Portugal, em 11 de maio de 2017

(afp_tickers)

Um dos autores do atentado que deixou oito mortos e 102 feridos em Brescia, no norte da Itália, em 1974, foi preso nesta quarta-feira em Fátima, em Portugal, segundo a polícia judicial.

Maurizio Tramonte, que era responsável pelo serviço secreto italiano, tinha uma ordem de prisão europeia expedida em seu nome. Ele foi detido um dia depois de o Tribunal de Apelação italiano confirmar sua sentença à prisão perpétua.

Tramonte, de 64 anos, havia sido condenado em julho de 2015 à pena máxima no Tribunal de Apelação de Milão, junto a Carlo Maggi, ex-militante da Ordem Nova, movimento de ultradireita. Contudo, ambos aguardavam em liberdade a sentença definitiva.

Durante os anos 1970, a Itália viveu seus "anos de chumbo". Na época, uma série de atentados, inclusive o da Brescia, deixaram dezenas de mortos.

Desde então, vários processos foram levados a cabo, mas ainda não havia saído nenhuma condenação definitiva contra a extrema direita. Suspeitos já haviam sido condenados em primeira instância, mas tinham se beneficiado da prescrição dos crimes ou de decisões favoráveis em apelações.

O atentado da Brescia está entre os maiores da história da Itália, ao lado do da piazza Fontana, em Milão, de 1969, que deixou 16 mortos, e o da estação de trem de Bolonha, em 1980, com 85 mortos.

AFP