Navigation

Pressionado, secretário da ONU pede que se evite violência na Venezuela

"O secretário-geral faz o que pode", disse seu porta-voz, dando a entender que sua margem de manobra é reduzida. afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 22. fevereiro 2019 - 22:17
(AFP)

O secretário-geral da ONU, António Guterres, pediu para se "evitar a violência" na Venezuela pouco antes de se reunir nesta sexta-feira (22) com o chanceler venezuelano, Jorge Arreaza, e de receber na quinta-feira o secretário de Estado americano, Mike Pompeo.

"Este chamado forte a evitar a violência" é transmitido tanto em privado como em público pelo secretário-geral das Nações Unidas, que está "preocupado" pela evolução da situação, disse seu porta-voz, Stéphane Dujarric, à imprensa.

Guterres atendeu aos pedidos de reunião de Pompeo e Arreaza, mas resiste às pressões para tomar partido, e se limitou a oferecer seus bons ofícios para alcançar uma solução negociada para a crise.

"O secretário-geral faz o que pode", disse seu porta-voz, dando a entender que sua margem de manobra é reduzida.

Guterres criticou também toda "politização" da ajuda humanitária.

"A ajuda humanitária debe ser utilizada de maneira imparcial (...) e sem objetivo militar", insistiu Dujarric, lamentando a morte nesta sexta-feira de duas pessoas em confrontos com o exército venezolano na fronteira com o Brasil.

Desde o começo de fevereiro Guterres já se reuniu duas vezes com Arreaza.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.