Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(26 jul) Confronto entre opositores de Maduro e policiais em Caracas

(afp_tickers)

Uma terceira morte registrada no primeiro dia da greve convocada pela oposição venezuelana contra o presidente Nicolás Maduro foi confirmada nesta quinta-feira pelo Ministério Público.

A vítima foi identificada como Enderson Caldera, 23 anos, ferido na manifestação de Timotes, estado de Mérida (oeste), informou o MP no Twitter el Ministério Público.,

Na véspera, a fonte informou a morte de um homem de 30 anos em Ejido, na mesma região, e um adolescente de 16 anos em Caracas.

O balanço de mortos sobe assim para 106 em quase quatro meses de protestos.

As ruas do leste de Caracas amanheceram praticamente vazias nesta quinta-feira, com comércios fechados e ruas bloqueadas depois dos violentos distúrbios registrados na véspera na capital e em outras cidades.

Em todo o país, centenas de manifestantes foram detidos pela polícia e por membros da Guarda Nacional.

A oposição avaliou em 92% a adesão ao primeiro dia da greve de 48 horas contra Maduro e sua Constituinte.

"Se cumpriu a greve geral em 92% em todo o país. A Venezuela deixou claro a Nicolás Maduro que não vai se calar diante desta fraude constituinte", disse em coletiva o deputado Freddy Guevara, em nome da coalizão opositora Mesa da Unidade Democrática (MUD).

A coalização convocou uma grande marcha em Caracas para sexta-feira e um boicote contra a votação de domingo, quando serão eleitos os 545 constituintes.

O governo Maduro descarta a possibilidade de suspender as eleições, que ele afirma serem "o único caminho para

Neuer Inhalt

Horizontal Line


swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.










AFP