Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Rinoceronte se recupera após extração de chifre no rancho de John Hume, em Klerksdorp, na África do Sul

(afp_tickers)

Realizado em meio à indignação de grupos de defesa dos animais, o primeiro leilão on-line de chifre de rinoceronte na África do Sul atraiu menos compradores do que o esperado - disseram os advogados do organizador, John Hume, neste sábado (26).

Dono do maior criadouro de rinocerontes do mundo, Hume organizou esse polêmico leilão de três dias, encerrado ontem.

Hume "concluiu satisfatoriamente o primeiro leilão legal de chifre de rinoceronte do mundo na Internet", afirmaram seus advogados em um comunicado.

"O leilão atraiu menos licitantes e menos vendas do que o previsto", relataram.

"Mas o comércio interno legal foi agora restabelecido e se abriu caminho para futuras vendas", acrescenta a nota.

"Os licitantes estavam devidamente autorizados para participar do leilão", destacaram os advogados.

Os vendedores não estabeleceram preço de partida, mas todos os potenciais compradores tiveram de pagar uma cota de inscrição de 100.000 rands (7.626 dólares) para poderem participar do evento.

Foram postos à venda 264 chifres, com peso total de quase meia tonelada. Um novo leilão deve acontecer no mês que vem - desta vez, off-line.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP