Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Funcionário municipal retira uma criança de casa, em Manila, por causa do tufão

(afp_tickers)

A passagem do tufão Rammasun pelas Filipinas, o primeiro da temporada, deixou 38 mortos, informaram as autoridades nesta quinta-feira, enquanto milhões de pessoas permanecem sem energia elétrica no país.

O governo do país ordenou a centenas de milhares de pessoas que abandonassem suas casas.

"Temos que compreender as razões pelas quais muitos de nossos compatriotas se negam a obedecer as ordens de evacuação", afirmou o diretor de Defesa Civil do país, Alexander Pama.

Como parte de uma operação batizada de "zero vítima", o governo retirou quase 400.000 pessoas de suas casas antes da chegada do tufão Rammasun ao arquipélago, na terça-feira à noite.

Mas dezenas de filipinos morreram em acidentes como quedas de árvores e postes de energia elétrica. O número de vítimas pode aumentar, pois muitas áreas permanecem isoladas, especialmente no leste do país, advertiu Pama.

O país sofre a cada ano com quase 20 tempestades fortes em média. O arquipélago das Filipinas é a primeira massa terrestre atingida pelos tufões que são formados nas águas quentes do Pacífico.

O tufão Haiyan deixou 7.300 mortos na passagem pelo leste do país em novembro do ano passado.

O Rammasun atingiu o leste das Filipinas na terça-feira, antes de chegar a Luzon, a principal ilha do arquipélago, e depois seguir para o oeste (Mar da China meridional).

O Rammasun segue agora para o sul da China.

AFP