Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(18 ago) Policiais tentam controlar manifestantes em Ferguson

(afp_tickers)

Os confrontos que agitam a cidade de Ferguson (Missouri) 10 dias após o assassinato de um jovem negro por um policial branco em circunstâncias controversas fazem parte de uma longa lista de distúrbios raciais ocorridos nos Estados Unidos desde 1965.

- 11/17 agosto de 1965: WATTS - LOS ANGELES.

A prisão por policiais brancos de um jovem negro, Marquette Frye, durante uma blitz de rotina e a discussão que se seguiu com os membros de sua família desencadeou uma revolta violenta no gueto de Watts, em Los Angeles.

Durante seis dias, este bairro desfavorecido do sul da megalópole da Califórnia se transformou em zona de guerra, onde homens da Guarda Nacional patrulhavam as ruas em jipes e com metralhadoras sob um calor escaldante. Foi imposto o toque de recolher. O balanço foi particularmente pesado: 34 mortos, muitos feridos, 4.000 prisões, e danos superiores a US$ 40 milhões. Imagens de guerrilha urbana provocaram choque na opinião pública americana.

- 12/17 julho de 1967: NEWARK - NEW JERSEY.

Uma briga entre dois policiais brancos e um taxista negro provocou um insurreição no gueto de Newark. Durante cinco dias, manifestantes agitaram o bairro já mergulhado na miséria. A violência, exacerbada pelo calor, fez 26 mortes e 1.500 feridos.

- 23/28 de julho de 1967: DETROIT - MICHIGAN.

Graves distúrbios em Detroit após a intervenção da polícia no 12th Street, predominantemente negro. O Exército e a Guarda Nacional foram implantados. Os confrontos mataram 43 pessoas e feriram mais de 2.000. A agitação se espalhou em vários estados, incluindo Illinois, Carolina do Norte, Tennessee e Maryland. Durante 1967, o balanço total da violência racial chegou a 83 mortos em 128 cidades do país.

- 4/11 de abril de 1968:

Após o assassinato de Martin Luther King em Memphis (Tennessee) em 4 de abril, a violência eclodiu em 125 cidades, deixando pelo menos 46 mortos e cerca de 2.600 feridos. Em Washington - cuja população era formada por dois terços de negros - mergulhou no caos e os saques começaram. No dia seguinte, o conflito se espalhou para o centro comercial, até 500 metros da Casa Branca. O presidente Lyndon B. Johnson convocou todos os agentes da 82ª Divisão Aerotransportada, divisão de elite do Exército americano. O exército também foi enviado a uma série de cidades como Chicago, Boston, Newark, Cincinnati...

- 17/20 maio de 1980: LIBERTY CITY - MIAMI.

Três dias de distúrbios acabaram com 18 mortos e mais de 400 feridos no bairro negro de Liberty City em Miami (Flórida). A violência foi provocada após a absolvição de quatro policias brancos julgados pelo assinado de um motociclista negro que havia furado o sinal vermelho no ano anterior em Miami.

- 30 de abril/1º de maio 1992: LOS ANGELES.

A absolvição de quatro policiais brancos que haviam brutalmente espancado um taxista negro, Rodney King, em 3 de março de 1991, inflamou a megalópole. A violência se espalhou para San Francisco, Las Vegas, Atlanta e Nova York, fazendo 59 mortos e 2.328 feridos.

- 9 de bril de 2001: CINCINNATI - OHIO.

Um jovem negro de 19 anos, Timothy Thomas, foi morto por um policial branco em Cincinnati durante uma perseguição. Seguiram-se quatro dias de violência em que 70 pessoas ficaram feridas. A situação voltou ao normal após o estabelecimento do estado de emergência e toque de recolher.

Timothy Thomas, que estava desarmado, foi o 15º negro a ser assassinado nesta cidade pela polícia desde 1995.

AFP