Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(9 set) Homem observa de uma janela de Havana a inundação causada pelo furacão Irma

(afp_tickers)

Quase uma semana depois da passagem do furacão Irma pelo Caribe, diversos países anunciaram pacotes de ajuda às zonas afetadas.

Seguem abaixo as principais medidas aprovadas:

- Venezuela e Panamá -

A Venezuela enviará para Cuba e para outras ilhas do Caribe cerca de 30 toneladas de alimentos, água potável e material de primeira necessidade.

Dez toneladas serão para Cuba, dez para a ilha franco-holandesa de Saint Martin e outras dez para Antígua e Barbuda.

Já o Panamá começou na segunda-feira (11) a distribuição de pelo menos 90 toneladas de ajuda humanitária para St. Martin e para Cuba.

Dos 40 mortos deixados pelo furacão, dez foram em Cuba.

- Estados Unidos -

Os Estados Unidos evacuaram da área 2.000 de seus cidadãos, principalmente mediante voos militares entre Porto Rico e St. Martin.

Aproximadamente 4.600 fuzileiros navais participam das operações de resgate.

- Reino Unido -

Fortemente criticado pela lentidão de sua resposta, o governo britânico destinará 32 milhões de libras (35 milhões de euros) para ajudar 88.000 britânicos de seus territórios caribenhos. Serão destacados 700 militares e 50 policiais.

Dois navios militares - um estacionado no local desde julho para a temporada de furacões -, três helicópteros e um avião britânicos se somam às tarefas de resgate.

O ministro britânico das Relações Exteriores, Boris Johnson, visitará a região a partir desta terça-feira (12).

- França -

O presidente francês, Emmanuel Macron, cuja resposta também gerou críticas, visita hoje a ilha francesa de St. Barts e a franco-holandesa St. Martin, onde Irma deixou dez mortos e sete desaparecidos.

Em meio a esforços para evacuar os mais vulneráveis por vias aéreas e marítimas, já chegaram 85 toneladas de alimentos e um milhão de litros de água. Foram enviados 1.500 soldados e policiais. Em breve, esse número chegará a 2.000 homens para atender a distúrbios e saques registrados em um primeiro momento.

- Holanda -

O rei da Holanda, Willem-Alexander, chegou na segunda-feira a St. Martin para acompanhar o descarregamento da ajuda humanitária.

Irma deixou quatro mortos na parte holandesa da ilha, onde vivem 40.000 holandeses.

Cerca de 550 militares holandeses foram enviados para St. Martin para restabelecer a segurança. Ontem, os primeiros evacuados chegaram à Holanda.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP