Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) Uma indiana HIV-positivo com seus antiretrovirais em sua casa em Nova Délhi, no dia 23 de julho de 2012

(afp_tickers)

Os principais números da epidemia de aids na América Latina e no Caribe, divulgados pelo relatório anual da Unaids para 2014, publicados em Addis Abeba.

-- AMÉRICA LATINA

- Em 2014, 1,7 milhões (entre 1,4 e 2 milhões) de pessoas viviam com o HIV na América Latina.

- Em 2014, estima-se que 87.000 (70.000-100.000) novas infecções por HIV foram registradas na região.

- As novas infecções por HIV caíram 13% entre 2000 e 2014.

- Na América Latina morreram 41.000 (31.000-71.000) pessoas por causa de doenças relacionadas à aids em 2014.

- Entre 2005 e 2014 o número de mortes decorrentes da aids na região caiu 29%.

- A cobertura de tratamento é de 47% (40%-56%) entre os adultos de 15 anos e maiores e de 54% (45%-63%) entre as crianças de 0 a 14 anos.

- Em 2014 ocorreram na América Latina 2.000 (1.300-2.900) novas infecções por HIV em crianças.

-- CARIBE

- Em 2014, 280.000 (210.000-340.000) pessoas viviam com HIV no Caribe.

- Em 2014, estima-se que se produziram 13.000 (9.600-17.000) novas infecções por HIV na região.

- As novas infecções por HIV se reduziram em 52% entre 2000 e 2014.

- No Caribe morreram 8.800 (6.000-17.000) pessoas por causa de doenças relacionadas à aids em 2014.

- Entre 2000 e 2014 o número de mortes relacionadas à aids na região caiu para menos da metade.

- O Haiti teve cerca de metade das mortes relacionadas à aids de toda a região em 2014.

- A cobertura do tratamento é de 44% (33%-56%) entre os adultos de 15 anos e maiores que vivem com HIV no Caribe e de 36% (32%-42%) das crianças.

AFP