Navigation

Prisão domiciliar para ex-ministro por trégua falida de gangues em El Salvador

O ex-ministro da Defesa de El Salvador, David Munguía, preso em 23 de julho de 2020 afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 29. julho 2020 - 22:51
(AFP)

O ex-ministro da Defesa de El Salvador, o general David Munguía, ficará em prisão domiciliar até ir a julgamento por ser acusado de promover uma trégua ilegal entre gangues em 2021, segundo informou um tribunal local nesta quarta-feira (29).

O general aposentado, de 69 anos, que foi preso na última quinta e está proibido de deixar o país, deverá aguardar em prisão domiciliar e apresentar-se a cada mês ao julgamento, indicou o Centro Judicial de San Salvador em comunicado.

O ex-ministro é acusado pelo Ministério Público pelos delitos de grupos ilícitos, atos arbitrários de funcionário e descumprimento de deveres como funcionário, segundo o texto.

Tais crimes poderiam resultar em até 15 anos de prisão.

Munguía foi ministro da Defesa, Justiça e Segurança Pública durante os governos da ex-guerrilha de esquerda, Frente Farabundo Martí para a Liberação Nacional (FMLN), entre 2009 e 2019.

Funes fugiu para a Nicarágua em 2016, após ser acusado de atos de corrupção. Recebeu asilo nesse país, e logo tornou-se cidadão.

Em El Salvador, as gangues reúnem cerca de 70.000 membros, que dedicam-se à extorsão e ao narcotráfico, além de outras atividades ilegais. Dessa estimativa, mais de 17.000 estão presos.

Em 2019, El Salvador foi um dos países mais violentos do mundo mesmo sem guerra, com 35,6 homicídios a cada 100.000 habitantes. A maioria dessas mortes foram consequência da atividade das gangues.

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.