Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O.J. Simpson durante audiência de liberdade condicional, em Nevada, em 20 de julho de 2017

(afp_tickers)

O antigo astro do futebol americano O.J. Simpson recebeu a liberdade condicional, nesta quinta-feira, depois de cumprir nove dos 33 anos de condenação por roubo e sequestro.

A condenação em 2008 foi o mais recente capítulo da queda do ex-jogador, iniciada mais de uma década antes de ser absolvido pelo assassinato da ex-esposa Nicole Brown e um amigo dela.

Confira uma lista com a cronologia dos problemas de Simpson na justiça.

13 de junho de 1994:

Os corpos sem vida de Brown e o amigo Ronald Goldman são encontrados na casa dela, localizada no bairro Brentwood de Los Angeles.

Simpson tinha voado para Chicago na noite anterior, mas voltou para a cidade para o funeral para acompanhar os filhos Sydney e Justin.

A polícia o acusou formalmente no dia 17 de junho por dois delitos de homicídio. Simpson protagonizou uma histórica perseguição em uma avenida da Califórnia, mas acabou se entregando durante a noite.

Uma juíza de Los Angeles decidiu levá-lo a julgamento por conta das "grandes evidências" que o indicavam como autor do duplo assassinato. Simpson se declarou inocente dos homicídios no dia 22 de julho.

3 de outubro de 1995:

Foi declarado inocente e livre de todas as acusações sobre os homicídios violentos de Brown e Goldman.

O julgamento começou quase nove meses antes, no dia 23 de janeiro. Parte das provas revelavam que o sangue de Simpson era compatível com o das amostras coletadas da cena do crime.

Uma luva com sangue, encontrada na casa de Brown, era peça fundamental para incriminar o ex-atleta. Mas Simpson experimentou a peça e mostrou para todas as câmeras que não servia: "não cabe em mim", falou ao juri.

A defesa insistiu que "The Juice", apelido do jogador, foi vítima de racismo pela polícia de Los Angeles, acusada de plantar provas contra o atleta por ele ser negro.

"Não fiz, não poderia e nem queria cometer esse crime", disse Simpson ao juri no dia 22 de setembro.

No dia 4 de fevereiro de 1997, foi considerado culpado pelo assassinato por uma corte civil. Simpson foi sentenciado a pagar 33,5 milhões de dólares às famílias das vítimas, o que ainda não foi quitado.

13 de setembro de 2007:

Um grupo de homens, entre eles Simpson, protagonizou roubo e sequestro em um hotel em Las Vegas.

3 de outubro de 2008:

Simpson é considerado culpado e condenado entre 9 e 33 anos de prisão, 13 anos depois de ser absolvido por duplo homicídio.

Quase cinco anos depois, no dia 13 de julho de 2013, recebe liberdade condicional parcial pelas acusações de roubo, mas é condenado a mais quatro anos de prisão pelo uso de arma de fogo.

20 de julho, 2017:

Simpson recebeu a liberdade condicional e no dia 1º de outubro vai deixar a prisão de Lovelock, em Nevada.

AFP